Profeta Jeremias, arqueologia corroborando a Bíblia.

Esses selos, descobertos pela arqueóloga Eliat Mazar, durante as suas escavações na Cidade de David,levam os nomes de dois ministros reais mencionados na história bíblica de Jeremias, profeta do Antigo Testamento. 

Fotos por Gaby Laron, O Instituto de Arqueologia, da Universidade Hebraica. 


Os selos vieram à tona durante escavações no que pode ser o palácio do rei Davi. O primeiro, na foto da esquerda, tem a seguinte escrita em hebraico: "Yehuchal  [Jucal] ben Shelemyahu [Selemias]".

No segundo (à direita), que foi encontrado nos estratos do primeiro período do Templo, abaixo do que tem sido identificado como Torre Norte de Neemias, a poucos metros de distância do primeiro, se lê "Gedalyahu [Gedalias] ben Pasur".

Esses homens são mencionados juntos na Bíblia, como ministros do Rei Zedequias (597-587 aC) . Jeremias aconselhou Zedequias e o povo da cidade a render-se aos homens de Nabucodonosor, para que suas vidas e da cidade pudessem ser poupadas. Mas nem todos gostaram da  mensagem de Jeremias, incluindo a Gedalias, filho de Pasur, e Jucal, filho de Selemias. 

De acordo com Jeremias 38:1-13, os dois ministros mandaram jogar Jeremias num calabouço porque não gostaram da mensagem de rendição que ele estava pregando ao povo de Jerusalém.


Essa é mais uma descoberta arqueológica, entre tantas outras, que corrobora a narrativa histórica da Bíblia.





IMPRIMIR ARTIGO

Print Friendly and PDF