Arqueologia: Minas do Rei Salomão, achados se aproximam do relato bíblico.


Crédito Imagem: T.E. Levy

Estudos se aproximam da narrativa das Escrituras.


Muitos  céticos decretam que determinado episódio na Bíblia não é verdade porque a arqueologia AINDA não encontrou tal evidência, acham que a arqueologia depende apenas da vontade do homem, esquecem que para determinada evidencia  ou artefato ser encontrado é preciso o elemento sorte. Temos aqui mais um exemplo, entre tantos outros, que a Bíblia é um documento histórico totalmente confiável, recheado de evidencias arqueológicas.


Arqueólogos encontram mina que pode ter sido do 
Rei Salomão

Rodrigo Durão Coelho BBC Brasil no Cairo


Através de testes de radiocarbono, os cientistas constataram a existência de minas 
de cobre em uma região e época que coincidem com descrições feitas no Velho 
Testamento.A descoberta de uma mina de cobre na Jordânia pode ser ser
 uma indicação da existência do personagem bíblico Rei Salomão, segundo 
arqueólogos.
Até essa descoberta  (repare nesse grifo que a Bíblia já era desacreditada por antecipação), acreditava-se que a extração e o aproveitamento do cobre 
só começaram a existir na Jordânia depois do século 7 a.C., ou seja, 
300 anos depois da suposta existência do rei.
"A pesquisa apresenta dados científicos que confirmam o que está 
escrito na Bíblia", afirmou à BBC Brasil um dos líderes do grupo de 
arqueólogos, Mohammad Najjar, da instituição jordaniana Friends of Archaeology & 
Heritage, que conduziu o projeto em parceria com a universidade americana de 
San Diego."

Os membros da equipe trabalham na escavação arqueológica
Crédito Imagem: American Friends of Tel Aviv University (AFTAU)




"Pesquisadores reconstruíram lugar em realidade virtual para localizar amostras de forma precisa"(G1). (Imagem crédito: Pinar Istek/UC San Diego-Calit2)




Esta mina de cobre antiga no sul da Jordânia pode ter sido também a fonte de metal para o templo de Jerusalém construído pela figura bíblica do Rei Salomão, estudos anteriores diziam que a produção de cobre teria começado séculos mais tarde.
Crédito Imagem Crédito:UCSD levantino Laboratório de Arqueologia.


Imagem de Satélite Google.O sitio, que se estende por uma área de mais de 24 hectares, é composta por cerca de 100 edifícios antigos, minas, trilhas de mineiros, inclui uma fortaleza, e está coberto de resíduos de fundição.
Imagem crédito: Thom Levy, UC San Diego



Outro complexo:

Minas de cobre em Timna, a 35 km ao norte de Eilat, em março de 2007 (crédito imagem: Doron Horowitz/Flash90).

Estudo com base na datação por radiocarbono de material desenterrado em um novo local, em Timna, Vale no deserto de Arava, liderado por Universidade de Tel Aviv Dr. Erez Ben-Yosef - derrubam um consenso de que tinha sido reforçado entre arqueólogos durante várias décadas:

Após a exumação de um templo egípcio do século 13 aC, em 1969, a maioria dos arqueólogos acreditavam que o sitio tinha sido construído e operado pelos antigos egípcios, antes de encontrar a área, que foi chamada de "As Minas do Rei Salomão": Resultado de escavações do arqueólogo Nelson Glueck, que encontrou fragmentos de cerâmica do século 10 AC e afirmou que as minas de cobre eram ativas durante o tempo do antigo reino israelita. 

Agora, as últimas descobertas na área sugerem que as minas foram trabalhadas por edomitas, uma confederação tribal semi-nômade que, segundo a Bíblia guerreavam constantemente com Israel (o antigo reino de Edom era vassalo no tempo de Salomão, sujeitos a Israel).
"As minas são, definitivamente, do período a partir do Rei Salomão", disse Ben-Yosef, em comunicado. "Elas podem nos ajudar a compreender a sociedade local, que teria sido invisíveis para nós de outra forma." 
Segundo o comunicado, o vale do Timna - agora um parque nacional - era um distrito de produção de cobre, com milhares de minas e dezenas de áreas de fundição. 

Restos de cobre em Timna
Imagem crédito: mfa.gov.il


A escavação recente ocorreu em um local previamente intocado conhecido como "Colina dos Escravos". Fragmentos de fornos, roupas, tecidos e corda foram descobertos na escavação, como também restos de comida.

Arqueólogos enviaram materiais encontrados no local, incluindo caroços de azeitona, à Universidade de Oxford, onde foram datadas do século 10 AC - o tempo durante o qual, de acordo com a Bíblia, o rei Salomão governou a antiga Israel. 

As descobertas de Ben-Yosef, disse o comunicado, confirmaram os resultados de escavações anteriores realizadas na área, principalmente a escavação 2009 no sitio 30, um grande campo de fundição no vale. 
'
Ben-Yosef disse que a escavação na "Colina dos Escravos" também demonstrou que a sociedade, em Timna Vale, foi surpreendentemente complexa.

 A tecnologia de fundição foi relativamente avançada, e o layout do campo indica um alto nível de organização social, disse ele. 

Impressionante cooperação teria sido necessária para milhares de pessoas operarem as minas no meio do deserto. 

"Timna Valley,  revelou uma sociedade com o desenvolvimento, sem dúvida, significativo, organizado e poderoso", disse ele. "E, no entanto, pelas pessoas estarem vivendo em tendas ali, eles teriam sido transparente para nós, se arqueólogos tivessem se empenhado em uma indústria diferente de mineração e fundição, que é muito visível arqueologicamente".





Conclusão:


As evidências mostram que o Império de Salomão era mesmo bastante significativo e avançado para a época, conforme o relato bíblico. 

Tudo indica que  o rei mantinha um complexo industrial, de certa forma parecido com distritos industriais de hoje, com uma produção em larga escala também voltada para a exportação.



IMPRIMIR ARTIGO

Print Friendly and PDF