Medicina Vs Cura de Deus. Existe essa rivalidade?

Crédito imagem: Bar-Ilan University

Em situações mais sérias de saúde onde o tratamento ou a intervenção médica pode acarretar em mais problemas, ou até em risco de morte, essa dúvida pode surgir na cabeça: orar a Deus para ser curado ou fazer o tratamento médico?


Tive que pensar sobre isso, após ter um AVC hemorrágico em 2011, por causa de uma  MAV (mal formação arteriovenosa), fiquei 15 dias internado, 5 na UTI,  fiquei sem andar,  paralisado do lado esquerdo do corpo. Esse evento, aliás, me fez definitivamente aceitar a Cristo e mergulhar no estudo da Revelação de Deus (Bíblia), abrindo os olhos e constatando que não temos o controle de nada nessa vida, se isso não tivesse ocorrido talvez ainda estivesse vivendo com "vendas nos olhos", sem me atentar aos propósitos de Deus, ao sacrifício e mensagem de Jesus, agradeço a Deus por sua grande misericórdia e benignidade diárias com os humanos, pois imagine, Ele poderia nos fulminar sempre que fizéssemos coisas erradas...

Então, depois do choque, e de graças à Deus ter recuperado todos movimentos, aliás, essa grande obra do Criador, que é o cérebro, tem uma capacidade incrível de se recuperar de traumas. Pois bem, depois disso veio a novela do tratamento do que fazer, demorou até a conclusão disso, fui pedindo a ajuda de Deus nesse imbróglio,e tendo em mente que não deveria descartar a medicina, acabou que ficou decidido por uma radio cirurgia no Hospital das Clinicas em SP, a radio cirurgia, ainda que um risco menor do que abrir o crânio ou uma intervenção direta do cirurgião, possui certos riscos, e, como já estava bem, tendo recuperado os movimentos, a vontade era de não mexer mais nisso, mas se deixasse como estava também teria um risco acumulativo maior de um novo AVC, que poderia ser fatal ou me trazer problemas graves.

Finalmente chegada a hora da decisão, orei e coloquei nas mãos de Deus,  pois é Ele que tem o controle. 

No dia da cirurgia, seria feito um arteriografia para localizar a MAV,  entendi que se não fosse para me sujeitar a essa intervenção, isso viria da vontade de Deus, ou seja, a MAV não estaria mais lá, mas demorou um pouco e acabaram achando a alteração no meu cérebro, então teve que ser feito. O exame, alias, já era de risco, pois para os físicos poderem mapear o cérebro, eles introduzem um tubo fino pela artéria da perna que vai até as veias do cérebro.

Algumas pessoas por crerem em Deus, acabam confundindo as coisas e negligenciando a medicina, podendo até piorar a situação, como se a fé em Deus, eliminasse o tratamento médico. É claro que se não houver tratamento disponível para um caso especifico, Deus pode sim curar, se esta for a sua vontade, mas devemos sempre ir atrás de tratamento médico, orando a Deus e pedindo ajuda nesse sentido também. É óbvio que, como pacientes, devemos sempre checar e pesar os riscos tanto da intervenção como da não intervenção da medicina em nosso corpo, para ver se vale a pena ou não arriscar um tratamento, mas a ideia de ciência e fé sendo auto-excludentes é um erro.

Temos que ter uma coisa em mente, quem deu a possibilidade do conhecimento ao ser humano, e obviamente aos médicos, foi o próprio Deus, o cérebro humano que possibilita todo esse aprendizado é criação de Deus, o desenvolvimento dessa capacidade, através dos estudos cabe ao homem, mas ele usa o que  Deus lhe deu, veja que a intenção de Deus ao criar os homens, diferente de qualquer outro animal, foi também para  que nos desenvolvêssemos:

Um Encargo Científico em Genesis

Em Gênesis 1:28, nós lemos que Deus ordenou à Adão e Eva : “ Frutificai e multiplicai-vos, e enchei a terra, e sujeitai-a; e dominai sobre os peixes do mar e sobre as aves dos céus, e sobre todo o animal que se move sobre a terra." Este mandamento foi dado antes da entrada do pecado no mundo, mas se estendeu ao período após o pecado ter contaminado a humanidade e a natureza e é válido até os dias atuais. 

Nós chamamos a isso de “Encargo Científico”. O termo “ciência” possui várias definições, mas atualmente, esse termo está restrito à algo experimental, que pode ser repetido, predito e, também, falseado. Tudo isso pode ser aplicado a “sujeitar a terra”. A ciência permite  fazer uso da riqueza  que Deus colocou na terra e no espaço, para nosso benefício, manipulando seus elementos. Um manuseio adequado da ciência não é contrário às Escrituras, portanto não há uma rivalidade entre Ciência (ou seja, conhecimento e desenvolvimento) e Deus, como alguns gostam de colocar. O desenvolvimento humano, estava dentro dos propósitos de Deus, que deu ao homem incrível capacidade de aprendizado.

Conclusão:  

Buscar tratamento médico para algum problema  não é sinônimo de falta de fé, o conhecimento humano é mandamento de Deus, e o cristão deve fazer isso e estar em oração ao mesmo tempo. Nenhum ser humano pode se vangloriar de seus feitos, ele está apenas usando a capacidade que foi dada por Deus, toda Glória pertence ao Criador, o homem admitindo ou não.




IMPRIMIR ARTIGO

Print Friendly and PDF