Peixe virou homem?

Desenho de um Panderichthys- considerado um dos ancestrais dos humanos por cientistas que defendem a teoria da evolução.
Crédito Imagem: philip.renne



A especulação:



"Os Panderichthys exibiam características transicionais entre os peixes Sarcopterygii e os primeiros tetrápodes, como o Acanthostega. A evolução dos peixes para tetrápodes terrestres requereu muitas alterações fisiológicas, como pernas e coanasFósseis bem preservados de Panderichthys apresentam claramente algumas dessas formas transicionais, fazendo do Panderichtys uma importante e rara descoberta para ahistória da vida.
Peixes como o Panderichtys foram os acestrais de todos os vertebrados terrestes que respiram ar, incluindo humanos"(1)


Peixes...>Seres intermediários....>Homem

Em outras palavras, o panderichthys é um tipo de peixe que dizem ser nosso ancestral. Se retrocedermos ao passado, com o "frame a frame" das espécies da árvore filogenética que nos dizem respeito vamos ver que segundo essa teoria, os seres concebidos pelos animais a partir do peixe (ou a partir de outros animais, dependendo do ponto de partida analisado) foram convergindo para o homem, no caso da linhagem evolutiva humana.

Mas isso tem base cientifica?

Crédito imagem: DANIEL LEE artist

Não existe aplicação do método cientifico nessa ideia de "peixe-vira-homem", pois o método cientifico é constituído, sobretudo, de observações, seja de campo ou de experimentos, inexistente nesse caso devido à alegação especulativa sobre o tempo.

Perceba que é há uma confusão de premissas, o próprio tempo de milhões e bilhões de anos é uma premissa não provada: Os cálculos matemáticos utilizados nas datações são alimentados com especulações sobre o passado não observado, o que torna qualquer conclusão mera ficção cientifica. 

O conhecimento tem que respeitar o método cientifico, por exemplo, ninguém toma remédio por hipótese ou teoria, para ser conhecimento e consequentemente ser liberado para consumo, eles são frutos de experimentos e observações, o mesmo aplica-se ao desenvolvimento em geral.


Variedade de símios
Crédito imagem: James Mollison

Fósseis: Variedade ou Evolução?

Pela lógica do gradualismo lento dessa teoria, deveria existir uma grande quantidade de seres transitórios, no entanto, nada foi encontrado nesse sentido.

A prova da evolução tendo como base a coluna geológica é apenas mais uma premissa não provada, o registro fóssil mostra seres tão complexos como os de hoje, esses organismos aparecem subitamente nas camadas, sem intermediários provados, um bom exemplo é o tribolite. 

Os chamados fósseis vivos também são exemplos, como o Celacanto, espécie que teve várias especulações sobre sua extinção, seus orgãos, etc. Ideias que se revelaram erradas após a descoberta do animal vivo nos mares.

Por causa do tempo e da acumulação de corpos da extinção de vários animais, os fósseis acabam mostrando que uma variedade muito grande de animais habitou o planeta, destarte, pelas informações que temos, fósseis mostram, no máximo, diversidade, e não transformações fantásticas entre tipos de organismos.





IMPRIMIR ARTIGO

Print Friendly and PDF