Mutações genéticas causam a Evolução?

Crédito imagem: The Genetic Literacy Project


Dentro da teoria evolucionista, as mutações são sugeridas como o "motor" da Evolução, que possibilitou em conjunto com a seleção natural  ao ser unicelular (algo parecido com uma ameba) ganhar complexidade e dar origem a seres pluricelulares mais complexos, estes posteriormente, gerando diversos seres, até finalizar no homem (no caso da linhagem evolucionista humana), mas será que isso procede?



O que são mutações?


Em Biologia, mutações são mudanças na sequência dos nucleotídeos do material genético de um organismo (veja a imagem acima que abre o tópico, digamos que aquele pontinho seja a mutação). Mutações podem ser causadas por erros de copia do material durante a divisão celular, por exposição a radiação ultravioleta ou ionizante, mutagênicos químicos, ou vírus.

Ou seja, mutações são erros, defeitos. 

Por exemplo, o genoma humano é igual em todos os humanos, é feito uma análise genética numa pessoa doente,  e descobre-se que a causa da doença dela é uma mutação do gene X que regula alguma função do organismo. Essa conclusão é feita comparando o gene da pessoa doente com o genoma considerado saudável. Nesse exemplo, a mutação gerou a doença,mas também foi observado que mutações podem ser neutras e não gerar problema ao portador, é isso que mostra a observação, então,  pode-se dizer que mutações são deletérias ou neutras, somente. 

O problema é que as mutações da Evolução das espécies, transformação molécula-homem, ou macroevolução, precisam ser benéficas, e mais que isso, precisam ser capazes de gerar ganho de complexidade, ganhos de novas estruturas que evidencie a mudança de um tipo de organismo para outro, e isso nunca foi observado, apesar de insistirem que elas existem, quando os exemplos de mutação que possibilitariam construções complexas em conjunto com a seleção natural e adaptabilidade são analisados percebe-se que não há nada ali que corrobore com a história contida na teoria.

Alguns evolucionistas dizem que a ocorrência, na verdade, é que o acumulo de mutações neutras é que vão gerar ganho de complexidade. 

Ora, se é neutro, é neutro! Não vai sair nada dali, neutro+neutro+neutro= neutro.

Portanto, vai contra a próprio conhecimento cientifico alegar que as mutações (erros) geram construções de novas estruturas que possibilitarão o sucesso no surgimento de novos tipos de seres, fora do limite de um patrimônio genético.

Ou seja, negar que felinos sempre serão felinos, peixes sempre serão peixes é um desespero para explicar o inexplicável do ponto de vista do naturalismo.

A ideia que tais mutações existiram e possibilitaram construções e transformações de seres vivos, como peixe ou símio que virou homem, fica apenas no campo da imaginação, assim como o longo tempo que possibilitou isso, tudo é imaginado e nada é constatado e corroborado, como deveria ser num estudo cientifico de verdade. 

A alegação de que não é possível a aplicação do método cientifico não deveria ser utilizada como desculpa para a desonestidade que é a tentativa de passar imaginação como fato.


Teoria da Evolução, tudo a ver com Hollywood...
Crédito imagem: Kayros Atemporal

"Porque as suas coisas invisíveis, desde a criação do mundo, tanto o seu eterno poder, como a sua divindade, se entendem, e claramente se vêem pelas coisas que estão criadas, para que eles fiquem inescusáveis;
Porquanto, tendo conhecido a Deus, não o glorificaram como Deus, nem lhe deram graças, antes em seus discursos se desvaneceram, e o seu coração insensato se obscureceu.
Dizendo-se sábios, tornaram-se loucos."
Romanos 1:18-22



Obs:

Não defendemos a intromissão de instituições religiosas no campo do ensino da ciência, apesar de não concordar com essa ideia de macroevolução (transformação molécula-homem), é da alçada da Academia e dos cientistas que dela fazem parte, decidir se retira ou não uma teoria do patamar em que se encontra.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...