Jesus era analfabeto?

Crédito imagem: ξωαŋ ThΦt(slowly back...)

Jesus era analfabeto ou iletrado?

Essa afirmação é mais uma das várias acusações espalhadas por "eruditos" sobre a vida de Jesus, ignorando o que temos de registro e que aponta para o contrário da afirmação. 

Muitos, para atacarem a credibilidade da bíblia, apoiam-se no apelo à autoridade de historiadores céticos, mas são justamente alguns desses historiadores, apressados e sem cuidado nas afirmações, que perderam a credibilidade há tempos,  pois por diversas vezes eles foram contrariados pela arqueologia e tiveram que aceitar o que antes, utilizando o argumento do silêncio,decretavam como invenção literária dos documentos judaico-cristãos.

Alguns erros de historiadores que se apressam em negar os documentos judeus perpassam por temas que envolvem a região de Nazaré, Dalmanuta,Belém antiga, Piscina de Betesda, Nabucodonosor, Davi,  cidade de UR, entre outros. Afirmações errôneas foram feitas sobre esses lugares e pessoas, que mais tarde foram refutadas.


Nazaré e o argumento do silêncio.

Ruínas de uma casa da antiga Nazaré, da época de Jesus: A casa construída com material simples consiste de quatro aposentos, um pátio, uma cisterna para água e uma pequena gruta de esconderijo, que supõe-se ter sido usada para ocultar as pessoas durante a invasão romana
Crédito imagem:  EFE

O principal argumento para ignorar os registros que apontam para um Jesus letrado é que Nazaré seria uma vila de camponeses analfabetos, isso por outro lado é baseado no argumento do silêncio, ou seja, a falta de registros que destacam a importância dessa localidade. 

O silêncio principal apontado, no caso, seria o do historiador Flávio Josefo.

É preciso atentar que Josefo não escrevia um "blog" de viagens, se não havia motivo para citá-la, ou seja, se a localidade não era importante estrategicamente para os romanos, ele obviamente não a citaria. Isso só evidencia que Nazaré não era um importante centro, e não que Jesus estava impossibilitado de morar ali e aprender a ler e escrever para estudar as Escrituras.

Jesus no meio de doutores.

Jesus aos 12 anos  já tinha profundos conhecimentos das Escrituras:

E aconteceu que, passados três dias, o acharam no templo, assentado no meio dos doutores, ouvindo-os, e interrogando-os. 

E todos os que o ouviam admiravam-se de sua inteligência e respostas. Lucas 2:46-47 

Então, vemos pensar, Jesus seria iletrado e ao mesmo tempo teria profundos conhecimentos das Escrituras a ponto de impressionar doutores no assunto?

Significado de iletrado:

Adj. Que não sabe ler nem escrever; analfabeto. 
Que não tem instrução.


Os apóstolos Pedro e João eram iletrados?

Nos registros de Atos, os apóstolos Pedro e João, são narrados pregando a Ressurreição de Cristo e os sinais que testemunharam com seus olhos (o que até então não exigiria grande capacidade intelectual). 

O texto de Atos 4 ao informar que membros do sinédrio tinham-lhes como homens sem letras, destaca o abismo cultural e social que havia entre eles, mas mesmo com pouca instrução ou instrução básica  eles tiveram bastante motivação para estudar 
depois de tudo que presenciaram a fim de terem maior domínio sobre as Escrituras e de poderem executar a obra para os quais foram chamados.

Mesmo supondo que fossem analfabetos, o que provavelmente não seja o caso, hoje vemos exemplos de pessoas analfabetas, semi-analfabetas, ou com pouca instrução,que estudaram e se tornaram até doutores. 

Portanto, é uma transformação perfeitamente possível e observável, já um iletrado e ao mesmo tempo sábio, como era o caso relatado sobre Jesus, realmente não há exemplos, e nem faz sentido, pois são situações excludentes.  

Apesar de sua divindade, é narrado que Jesus não usava dessa prerrogativa, ele seguiu o processo normal do ser humano até seu ministério, com a atenção dos seus pais durante o seu crescimento, por terem consciência de seu nascimento especial. 


Ele foi educado e teve uma profissão como os judeus da época.



A motivação dos pais

Os pais de Jesus, diante de tudo que presenciaram: a visão do anjo e o nascimento especial de Jesus, certamente se preocuparam em dar boas condições para que o garoto tivesse uma boa educação e bom domínio sobre o judaísmo e as coisas de Deus.

Lembrando também que não eram só José e Maria que tinham conhecimento do nascimento especial de Jesus (Lucas 1:42, Lucas 2:9, Lucas 2:25), inclusive, na ocasião de seu nascimento eles receberam ouro como presente (Mateus 2:11), ou seja, mesmo aceitando que os pais de Jesus fossem bem humildes financeiramente, eles tiveram pelo menos algum recurso para ajudar na criação de Jesus, pelas ofertas de algumas pessoas que tinham conhecimento de seu nascimento especial, há relatos de ajuda e presentes após seu nascimento.

Perceba que a família de Jesus mostra-se atenta aos ensinamentos e práticas do judaísmo:


E, cumprindo-se os dias da purificação dela, segundo a lei de Moisés, o levaram a Jerusalém, para o apresentarem ao Senhor (Segundo o que está escrito na lei do Senhor

Todo o macho primogênito será consagrado ao Senhor); 

Lucas 2:22-23

Diante disso, é improvável que seus pais não tenham dado apoio para que ele aprendesse a ler (melhor forma para gravar as leis) e se aprofundar nas Escrituras. 

Lembrando que a celebração B'nai Mitzvá tem como origem tradições judaicas muito antigas que se relacionam com os documentos mosaicos, onde os filhos de todo Israel teriam que ter conhecimento das leis.

Jesus:

"Examinais as Escrituras, porque vós cuidais ter nelas a vida eterna, e são elas que de mim testificam" João 5:39

A sinagoga em Nazaré

Nazaré hoje. Crédito imagem: Seetheholyland.net
Apesar da helenização da região em geral e a probabilidade do grego ser conhecido por muitas pessoas, tudo indica que Nazaré tenha permanecido uma aldeia/cidade judaica conservadora, com famílias sacerdotais.

Epifânio, em seu Panarion, cita Nazaré entre as cidades desprovidas de uma população não-judaica (c. 375 .dC).

O registro de Lucas informa que havia sinagoga em Nazaré, e que Jesus até leu no lugar, contrariando a tese de que Jesus não tinha onde aprender:

"E, chegando a Nazaré, onde fora criado, entrou num dia de sábado, segundo o seu costume, na sinagoga, e levantou-se para ler."  Lucas 4:16


Seus moradores, inclusive, eram bem ligados à tradição judaica, iraram-se contra Jesus e tentaram matá-lo:

E todos, na sinagoga, ouvindo estas coisas, se encheram de ira.
E, levantando-se, o expulsaram da cidade, e o levaram até ao cume do monte em que a cidade deles estava edificada, para dali o precipitarem.
 

Lucas 4:28-29.

Além disso,  Nazaré ficava há apenas 7 km de Séforis - um importante centro comercial onde o rei Herodes, o Grande, governava a serviço de Roma, o que refuta de vez a ideia de que a família de Jesus estava isolada numa região camponesa e longe de tudo, essa afirmação demonstra um desconhecimento da geografia do lugar, e pior, um despreparo e irresponsabilidade na hora de sair afirmando tais coisas. A família de Jesus é vista na narrativa transitando por várias regiões de israel.


Implicações de um Jesus analfabeto ou iletrado


Se Jesus não sabia ler e os líderes judeus sabiam disso, então os líderes a quem Jesus freqüentemente desafiava perderam inúmeras oportunidades para minar a autoridade de Jesus, e, portanto, eram meros tolos, o que é bastante improvável.

Jesus muitas vezes perguntou aos fariseus: "Nunca lestes?" (Mateus 21:42).

Se Jesus não sabia ler, esta teria sido uma grande oportunidade para os fariseus apontarem isso. Eles eram, afinal, a elite religiosa educada de seu tempo e teriam gostado de minar a autoridade de Jesus. 

Mas isso não ocorreu, foi dado como certo que Jesus sabia o que estava falando porque ele tinha lido as Escrituras. 

Curiosamente, o Novo Testamento registra que os fariseus, na verdade, tomaram isso como um fato, de que Jesus foi educado (o que inclui leitura): Como sabe este letras, não as tendo aprendido? João 7:15". 

Esta questão revela que os fariseus reconheceram que ele foi realmente educado em questões bíblicas de uma forma que era muito acima da formação típica, pois Jesus provavelmente estava rejeitando alguma interpretação distorcida da tradição, e lhes mostrando o correto com base nas Escrituras, dando amostras de sua autoridade  sobre o tema (Marcos 1:22).



Diversas classes sociais

Jesus não esteve apenas com os pobres, Ele transitou por diversas classes sociais, despertando o interesse de alguns homens ricos e bem colocados na sociedade da época, o que é bastante improvável de acontecer com um analfabeto, lembrando que ele não tinha nenhuma ambição política, não visava conquistas de terra, não era líder de guerrilha nem nada disso.



Por que Jesus não deixou documento escrito?

E destas coisas sois vós testemunhas. Lucas 24:48

Porque entre os 12 homens que Jesus escolheu para acompanhar seu Ministério e testemunhar os sinais, já estavam pessoas que desempenhariam essa função. A história de Jesus foi escrita por seus contemporâneos.

O fato dos documentos não terem sido escritos por Ele mesmo, e sim por suas testemunhas e contemporâneos como Lucas, que puderam investigar se os fatos narrados procediam, coloca o Novo Testamento num patamar ainda mais surpreendente e sem paralelo na história.



Conclusão:

Apoiar-se em deduções falhas e argumento do silêncio não pode servir como suporte para a negação dos registros existentes. 

Os fatos históricos apontam para um Jesus letrado e com profundos conhecimentos das Escrituras. 

Um Jesus que teve uma profissão simples, mas que também teve condições para ler, escrever, aprender e se aprofundar nas Escrituras antes de iniciar o seu Ministério.


IMPRIMIR ARTIGO

Print Friendly and PDF