Moral Objetiva vs Moral Subjetiva

Desenho feito pelo artista David Olere, prisioneiro de campo nazista.
Crédito imagem: Commons



Premissas:

) Moral subjetiva: Ateísmo

) Moral Objetiva: Crença em Deus.


(Obs: O texto não discute pessoas, mas somente os fundamentos de cada posição: cristianismo ou ateísmo)



A moral subjetiva é formada de convenções humanas, e pode variar conforme a sociedade, ela não tem o objetivo de ser Universal.

Já a moral objetiva é aquela que independe de convenções humanas, do tempo, de emoções etc. 


A moral objetiva descarta sua origem humana, porque a origem dela é atribuída a um legislador Externo, isto é, Deus. E tem o objetivo claro de ser Universal.

Um exemplo de moral subjetiva:

Em algumas tribos não é imoral matar crianças que nasçam deficientes.

Na moral objetiva, matar essas crianças é errado universalmente.

Os efeitos de uma moral subjetiva:

Por exemplo, um império dominante, impõe a sua moral sobre os outros, e nessa moral está a barbarização dos dominados, tivemos exemplos disso em vários Impérios, e até mesmo um exemplo recente: o nazismo.

Numa moral subjetiva, atitudes como matar e torturar terceiros pode não ser errado, pois a moral subjetiva está na cabeça de cada um, ou no caso, de cada sociedade.

A moral Objetiva tem o propósito de ser Universal, ela tem o papel de dar uma direção aos humanos, mas isso obviamente dependerá da aceitação humana, pois existe o livre arbítrio. 
A universalidade não é premissa para um moral objetiva, o entendimento de uma moral objetiva vem da crença num Criador.

Quando eu não creio em Deus, a moral é subjetiva, pois ela exclui o legislador externo, porém o mundo atual vive sob certa influencia da moral objetiva do cristianismo, principalmente oriunda dos países ocidentais, por exemplo, selecione os maiores financiadores da ONU, ou membros do comitê de justiça da ONU, a maioria esmagadora são de países que em algum momento foram fortemente influenciados pelo cristianismo, esses valores transferidos pelo sistema do cristianismo geraram influencia para implantação de regras universais passando por cima de regras culturais (moral subjetiva), que são os chamados Direitos Humanos.



Comendo o Sapo Vivo



Crédito imagem: AsiaFoodRecipe

Enquanto alguns países possuem regras contra a tortura e o sofrimento de animais, inclusive para diminuir ao máximo o sofrimento em abatedouros, em outros países o sofrimento de animais faz parte da cultura.

Na cena grotesca acima, o anfíbio é servido e devorado ainda vivo, o animal assiste de dentro do prato a pessoa comendo suas partes.

Os defensores desse tipo de coisa se justificam dizendo que se trata apenas da cultura do país, mas se aplicarmos essa justificativa no caso dos humanos, como ficam os direitos humanos universais que passam justamente por cima de questões culturais?

Perceba o perigo da moral subjetiva (intrínseca ao ateísmo), onde cada pessoa ou grupo pode escolher o que é certo ou errado.

Isso não quer dizer que todo ateu é pior que todo religioso, ou que todo aquele que se diz religioso é melhor que todo ateu (as pessoas costumam confundir), e sim que o ateísmo dá suporte para comportamentos obscuros, ou seja, o cristão tem uma moral objetiva para seguir e quando ele faz algo diferente do que está escrito ele está transgredindo a moral colocada como imutável, isso quer dizer que o cristianismo não dá suporte para determinados comportamentos, pois ideologicamente o individuo tem regras para seguir de seu Criador.

No ateísmo não há essa transgressão, pois a moral é subjetiva, não há regras, trata-se de convenções, não há mensagem superior!


Ainda que exista consequências na sociedade para alguns comportamentos, filosoficamente, o ateu é livre para agir como queira.




O que é que nos impede de dizer que Hitler não tinha razão?

Essa pergunta acima é totalmente problemática para ateu, pois ela está ligada à moral subjetiva. 


Perceba que ela não pode ser respondida com um simples "não gosto de genocídio" ou "genocídio é errado". O ateu tem que responder de acordo com o significado do ateísmo, que é contrário à existência de Deus, como no ateísmo não há moral ou regras de um Ser superior, mas apenas convenções humanas, como fica a resposta a essa pergunta para um ateu? 

Para se pensar.


Mortes no Antigo Testamento - Moral subjetiva na Bíblia?
Leia..

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...