O purgatório existe? Tem base bíblica?

 Crédito Imagem: StGrundy


O purgatório segundo a Igreja Católica:

O purgatório é um lugar de sofrimentos em que as almas se purificam, solvendo suas dividas, antes de serem admitidas no céu, onde só entrará quem for puro. Sua existência se baseia no testemunho da Sagrada Escritura e da Tradição. Vários Consílios o definiram como dogma; Santos Padres e Doutores da Igreja o atestam a uma voz.


Resposta:


ideia do purgatório é um grande perigo, além de entrar em contradição com os Evangelhos, faz muitas pessoas relaxarem vivendo uma vida fora do determinado por Deus, pensando que terão uma segunda chance depois de mortos. A situação perante Deus não é boa, dos pais dessa doutrina e quem insiste em ensinar um erro tão flagrante.



As contradições com o Evangelho:


A-) Se a pessoa irá passar por um processo de purificação depois da morte, as exortações de santificação vista nos Evangelhos são em vão.

B-) Se a reconciliação só ocorre, de fato, na purificação depois da morte, o sacrifício de Jesus teria sido em vão.

Não há aplicação de purificação depois da morte para reconciliação com Deus, pois Jesus já se deu em preço de redenção.

A divisão de pecados venais e mortais feita pela doutrina católica não tem base bíblica. Pecado é toda e qualquer transgressão contra Deus. Se por exemplo, alguém errar, cometendo uma mentira, essa pessoa deve orar e pedir perdão a Deus em nome de Jesus (que é a ponte de união entre Deus e o homem). Deus reconhece as nossas fraquezas e aceita nosso perdão quando este é de coração em conjunto com a vontade de mudança, nisso se dá a busca pela santificação, tão exortada nos Evangelhos.


O purgatório é para purificar a pena temporal?

Alegação católica:

A pena temporal (que é a necessidade de reparar o mal proveniente de seu pecado) permanece.


RESPOSTA:

Se permanecesse é porque Deus não perdoa, mas isso não é bíblico.

"Purificar pena temporal" é o mesmo que inutilizar o sacrifício de Jesus, que, como já foi falado, Ele se deu em preço de redenção, se falhamos, vamos a Deus e pedimos perdão, e seremos perdoados.

No Antigo Testamento havia rituais de purificação, com Jesus tudo isso acabou:


"O qual, sendo o resplendor da sua glória, e a expressa imagem da sua pessoa, e sustentando todas as coisas pela palavra do seu poder, havendo feito por si mesmo a purificação dos nossos pecados, assentou-se à destra da majestade nas alturas"; Hebreus 1:3


Não estamos livre de pecar, mas ganhamos a possibilidade de chegar a Deus e pedir perdão com arrependimento sincero. O perdoar de Deus, não significa que devemos permanecer no erro,a busca pela santificação é o caminho, nos corrigindo e procurando melhorar sempre: 
"..havendo feito por si mesmo a purificação dos nossos pecados" Hebreus 1:3
Deus nos manda perdoar sempre, isso é uma alusão ao perdão maior que Ele nos concede, se ele não nos perdoasse, a prática do perdão obviamente não seria um ensinamento bíblico.
“Tomai, pois, irmãos, conhecimento de que se vos anuncia remissão de pecados por intermédio deste [Jesus].” Atos 13:38 
No qual temos a redenção, pelo seu sangue, a remissão dos pecados, segundo a riqueza da sua graça.” EF 1:17 
Porque, se perdoardes aos homens as suas ofensas, também vosso Pai celestial vos perdoará a vós; MT 6:14 
A vida eterna é um dom gratuito de Deus, não é necessário purgatório: 
Porque o salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna, por Cristo Jesus nosso Senhor. Romanos 6:23 


Conclusão:

Com o pecado recebemos a morte, através de Adão, porém com Jesus ganhamos a reconciliação e a vida eterna . Isso é um dom gratuito, sem merecimento algum de nossa parte, em que Jesus deu a si mesmo, ou seja, Ele pagou por nossos pecados. Se a Bíblia diz que Ele pagou por nossos pecados, mas se tivessemos novamente que pagar em tal purgatório, ela estaria se contradizendo, mas a Bíblia não diz isso, a ideia do purgatório é uma invenção puramente humana, sem base bíblica.




Segundo texto:



Ao morrermos, sem falta grave, poderemos pagar nossas culpas no purgatório?


Resposta com base bíblica:



Todo pecado é transgressão contra Deus, mas como Deus é justo, Ele nos perdoa de erros involuntários, feitos sem plena consciência  pois não somos perfeitos,  já os pecados voluntários. ou seja, tendo consciência e praticando, sem arrependimento, a morte será a separação definitiva de Deus, pois o sacrifico de Jesus foi ignorado e não houve remissão dos pecados:


se pecarmos voluntariamente, dentro do conhecimento da verdade, já não resta mais remissão pelo pecado” (HEBREUS 10.26-27)





Contra- argumento católico:


"Todo o pecado e blasfêmia serão perdoados aos homens; mas a blasfêmia contra o Espírito Santo não será perdoado... Se alguém falar contra o Espírito Santo, não lhe será perdoado, nem neste mundo, nem no outro" (Mt, 12: 13 e 31-32)

Jesus Cristo fala de pecado que "não serão perdoados nem aqui, nem no outro mundo" . Logo, para certos pecados há possibilidade de serem perdoados ainda no outro mundo. 

1. Todos pecados serão perdoados, menos aqueles contra o Espírito Santo;
2. Alguns pecados são perdoados neste mundo; outros, em outro mundo.
3. Nem todos os pecados são iguais perante Deus.



Resposta com base bíblica:

Pecado contra o Espírito Santo é quando alguém já conhece a palavra, e este passa a zombar, escarnece, profere degradação contra Deus, recusando-o em plena consciência, neste não há mais o arrependimento.

Como vimos, o trecho abaixo "nem neste mundo, nem no outro" é utilizado como elemento na alegação do purgatório, mas isso está correto? Vejamos:
"Não lhe será perdoado, nem neste mundo, nem no outro
A frase "este mundo e no próximo" era uma frase de significado judeu referente a "nunca". 
Como a Bíblia é bastante interligada, na maioria das vezes podemos tirar a dúvida de alguma passagem em outros livros, e, nos outros evangelhos que abordam o mesmo assunto, essa frase é omitida. Isto porque Marcos e Lucas estão escrevendo para os gentios, e dizem que a blasfêmia contra o espírito santo nunca é perdoada:
Qualquer, porém, que blasfemar contra o Espírito Santo, nunca obterá perdão, mas será réu do eterno juízo. Marcos 3:29
E a todo aquele que disser uma palavra contra o Filho do homem ser-lhe-á perdoada, mas ao que blasfemar contra o Espírito Santo não lhe será perdoado Lucas 12:10



Conclusão: A Bíblia não dá suporte para a doutrina romana do purgatório.






IMPRIMIR ARTIGO

Print Friendly and PDF