Rico e o Lazaro é um parábola?

Crédito Imagem: Lulucho vi Britannia


Muitas pessoas afirmam que Rico e o Lazaro é uma parábola, e até algumas edições bíblicas colocam o seguinte subtitulo no texto bíblico"A Parábola do Rico e Lazaro". 


Em todas as outras parábolas de Jesus simplesmente não encontramos nomes de pessoas. Mas o simples fato dele ter dado nomes aos personagens bastaria para se crer que trata-se aqui de uma passagem literal? 

Bem, a primeira e maior regra que possa existir para se interpretar as palavras e os ensinos de Jesus, depois de se ter a certeza que a tradução bíblica seja confiável, é, que não haja contradição, entender que Ele sempre fala a verdade e sobre coisas verdadeiras. 

Jesus não falaria acerca de algo que não tenha sido verdadeiro e muito menos confirmaria uma ideia errada sobre esta questão. É inconcebível crer na pessoa de Jesus e ao mesmo tempo duvidar do que Ele diz. 

E se Ele coloca no texto o nome de uma figura tão importante da história judaica, que é Abraão, dEle não podemos duvidar. Além disso, ao estudar melhor outras narrativas semelhantes, especialmente no livro de Lucas, observamos que o autor do evangelho (Lucas) ou o próprio Cristo sempre diz quando se trata de uma parábola, como nos exemplos abaixo demonstrados.

Exemplos de Jesus se comunicando por Parábolas:

Parábola do Servo Vigilante

"E  sede vós semelhantes.."

Parábola do Grã de Mostarda

"E dizia: A que é Semelhante...'

Parábola dos primeiros assentos  e dos convidados:

"E disse aos convidados uma parábola..."

Parábola da grande ceia:

"E, ouvindo isso um dos que estavam à mesa.." (Jesus estava na casa de um fariseu)


Parábola acerca da providencia

"Ora, ia com ele uma grande multidão.."


"Parábola do filho pródigo"

'Ele lhe propôs uma parábola..."


Parábola do Fariseu e do publicano

"E disse também uma parábola..."

Após a parábola do mordomo fiel ( o que não significa também que a história não seja literal), o texto fala da situação que ocorria ali no ambiente em que Jesus estava, com os fariseus zombando. Nessa hora, o texto aponta que Jesus começa a falar só com os discípulos (não existe nenhum dos indícios mostrado acima, de que ele falava ao povo ou fariseus, e portanto por parábolas), depois Jesus foi a jerusalém, e só aí encontrou outros fariseus, e só aí ele voltou a discursar ao povo, em Lucas 17:20. Ou seja, de Lucas 16:14  á Lucas 17:19, o texto não é parábola.


-) Jesus só falava por parábolas?



Versículos utilizados:

Por isso lhes falo por parábolas; porque eles, vendo, não vêem; e, ouvindo, não ouvem nem compreendem. 
Mateus 13:13



E com muitas parábolas tais lhes dirigia a palavra, segundo o que podiam compreender.
E sem parábolas nunca lhes falava; porém, tudo declarava em particular aos seus discípulos. 
Marcos 4:33-34.



Vamos examinar:


Não, Jesus falava muito por parábolas, mas todas elas estão indentificadas no próprio texto, como por exemplo: "propôs uma parábola", lhes contou uma parábola" ou  "semelhante a".  Não é o caso de o rico e o lazaro, que inclusive usa o nome de Abraão no relato.

Jesus falava por parábolas à MULTIDÃO (alguém do povo), não aos discípulos, veja a seguir:


Tudo isto disse Jesus, por parábolas à multidão, e nada lhes falava sem parábolas 


Mateus 13:34


Os discípulos perguntam porque Jesus só falava por parábolas ao povo:


E, acercando-se dele os discípulos, disseram-lhe: Por que lhes falas por parábolas? 
Mateus 13:10


Jesus responde em Mateus 13:11-17



Lázaro se alimentava debaixo da mesa do rico?


Não é isso que o texto diz, vejamos:

Havia também um certo mendigo, chamado Lázaro, que jazia cheio de chagas à porta daquele;
E desejava alimentar-se com as migalhas que caíam da mesa do rico; e os próprios cães vinham lamber-lhe as chagas.


Lucas 16:20-21

O que podemos tirar do texto é que Lázaro era um mendigo, excluído, doente, que ficava a porta da residência do rico, provavelmente atrás de algum resto da casa rica, para comer, como é muito comum hoje em dia, inclusive, no texto dá entender que o rico não dava a minima para ele, conforme lembrou Abraão.

________________________________________________________________________________

E Parábolas são fábulas? 

Há muita confusão a esse respeito, mas Parábola não é necessariamente uma fábula, mas é essencialmente um texto comparativo. No caso de Jesus, provavelmente com situações tiradas do cotidiano de pessoas reais (Ora, Deus é Onisciente e Onipresente, teria condições para trazer tais histórias) utilizadas para extrair uma mensagem de ensinamento ético.


 Conclusão: 

Todas as parábolas estão identificadas pelos seguintes fatos: Ou Jesus diz que é uma parábola, ou utiliza o "semelhante a"(claramente uma metáfora), ou diz que estava com alguém do povo ou multidão,  nada disso aparece no relato de Rico e o Lázaro que é uma narrativa direta utilizando o patriarca Abraão.

IMPRIMIR ARTIGO

Print Friendly and PDF